terça-feira, 25 de julho de 2017

Salmorejo Cordovês





Estar com os amigos dá-me cada vez mais prazer. Estar com "aqueles" amigos mesmo bons, "aqueles" com quem estou mesmo à vontade, com quem riu alto, mas também refilo se tiver que ser e com quem me sinto bem e feliz. Pessoas com boa energia, relacionamentos sem complicações, é isso que valorizo cada vez mais e que me preenche nos momentos de lazer. Eu e o meu marido gostamos bastante de receber estes bons amigos em nossa casa. E, claro, os nossos encontros giram muito em torno da mesa e dos petiscos que eu faço para mimar quem mais gosto. O meu marido arruma, ajuda na logística e em tudo o resto... eu cozinho... todos comemos! São sempre momentos bem passados. No dia em que fiz este prato, recebemos alguns dos nossos melhores amigos, aqueles que me põem mesmo bem disposta com a sua companhia, "aqueles"...
Como tínhamos estado de férias no sul de Espanha há poucos meses e ficámos encantados com o Salmorejo que provámos em Córdoba (e em toda a Andaluzia em geral) resolvi experimentar. Trata-se de uma espécie de gaspacho, mas só com tomate. Pessoalmente, ainda apreciei mais e o meu marido só aprecia esta versão porque não gosta de gaspacho (ele não gosta de pimentos). Ficámos ambos rendidos a esta sopa fria e cremosa e eu pensei logo em fazê-la cá em casa. Dos amigos que provaram, dois deles já tinham comido em Espanha e consideraram que estava muito bom. Nós também achámos, ficou igual ao que comemos por terras andaluzas. A única adaptação que fiz foi reduzir um pouco a quantidade de pão porque o pão espanhol é menos denso, por isso é necessária maior quantidade para atingir a consistência certa.
Para esta "produção" contei com a carinhosa ajuda da Ana, uma das amigas que se sentou connosco à mesa nessa noite. Quase sempre tiro as fotografias sozinha e quem tem um blog sabe que esta parte é muito gira, mas dá trabalho. Com a ajuda da Ana consegui mais inspiração e foi tudo mais fácil! Ainda por cima ela confessou que adora Salmorejo, já tinha provado várias vezes em Espanha e aprovou o meu, o que me deixou bastante orgulhosa. No fim de tudo, ofereceu-se para ajudar em produções futuras, mas eu palpito que ela quer é candidatar-se a "provadora oficial" da Deliciosa Paparoca. Ana, seja para que função for, estás contratada!!


Ingredientes para cerca de 6 doses:
1 quilo de tomate maduro de boa qualidade, de cacho por exemplo
1 dente de alho (não muito pequeno)
150 gr de pão (200 na receita original)
2 dl de azeite (2,5 na receita original)
Sal qb
1 ovo cozido + 50 gr de presunto em pequenos cubos

Preparação:
Comece por pelar os tomates, colocando-os em água muito quente (quando a fervura começa a deitar as primeiras bolhas). Mergulhe os tomates na água ao lume e deixei-os ficar apenas o tempo necessário para começarem a pelar. Retire imediatamente e tire-lhes a pele. Abra-os ao meio e retire todas as sementes. Coloque os tomates numa taça juntamente com o alho e vá triturando com a varinha mágica. Deve obter um sumo espesso (tipo smoothie).
Noutra taça coloque o pão em pedacinhos e vá deixando o tomate triturado por cima até estar tudo misturado. De seguida tempere de sal e triture tudo junto, agora com o pão e tomate. Vá deitando o azeite em fio e triture sempre até obter uma consistência cremosa. Guarde no frio. No momento de servir, guarneça com presunto e ovo cozido em pedacinhos.

Nota: Usei bolas de mistura, mas não muito densas. Para este prato não recomendo pão tipo alentejano ou de Mafra, apesar de ser excelente, não é o indicado. É preferível um pão mais macio, "tipo bolinha", mais leve do que isso também não aprecio.
Deixo-vos uma fotografia da receita que tirei em Córdoba, estava fixada na parede exterior de um restaurante e foi a primeira foto que tirei quando cheguei à cidade :)

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!





terça-feira, 18 de julho de 2017

Caril de lulas com maçã




A abundância de maçãs por aqui continua a ser uma realidade. São biológicas, trago-as da árvore dos meus pais. Apesar de ser apenas uma macieira,este ano está a dar muitos frutos, por isso há que puxar pela imaginação para os aplicar em pratos diferentes. A acidez das maçãs verdes liga bem com caril, se bem que estas maçãs não são muito ácidas. Depois de estufadas, quase nem se notam no caril, aromatizando-o delicadamente e oferencdo consistência ao molho.

Ingredientes para 2 pessoas:
1 kg de lulas
1 cebola 
meio alho francês
1 ramo de coentros
2 maçãs
1 dente de alho
2 a 3 colheres de sopa de óleo de coco
1 colher de café de sementes de coentros (previamente moídas no almofariz)
1 colher de café de curcuma (açafrão)
Sal e pimenta qb
1 colher de chá de caril em pó
Picante a gosto (1 malagueta, se gostar)

Preparação:
Deite o óleo num tacho e junte a cebola picada, o alho e o alho francês em rodelas finas. Depois junte os pés dos coentros. Deixe cozinhar um pouco. Tempere de sal e pimenta e junte também todas as especiarias. Mexa e deixe cozinhar mais uns 2 minutos. De seguida junte as maçãs cortadas em pequenos cubos e as lulas depois de arranjadas. Deixe estufar até as lulas estarem macias. Vigie o lume para não deixar secar. No fim pode juntar um pouco de leite de coco espesso, mas desta vez nem juntei, fiz um caril suave e light. Sirva com arroz branco ou basmati e, antes de servir, polvilhe tudo com coentros picados.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável! 

sábado, 15 de julho de 2017

Crumble integral de maçãs biológicas





Apanhei maçãs biológicas das árvores dos meus pais. No terreno há uma macieira que dá maçãs camoesas, uma qualidade de casca verde e sabor nem muito ácido nem muito doce. São bastante boas assadas e até dispensam açúcar. Também já fiz doce delas e ficou bom. Este ano tenho feito vários pratos, tanto doces como salgados, em que utilizo as maçãs. Este crumble ficou delicioso e muito amanteigado. É uma sobremesa relativamente saudável, pois usei cereais integrais e não leva muita quantidade de açúcar. Se gostarem, sirvam o crumble acompanhado de uma bola de gelado de nata.

Ingredientes:
4 a 5 maçãs
80 gr de manteiga sem sal
100 gr de farinha de trigo integral
50 gr de flocos de aveia integral
40 gr de flocos de centeio
50 gr de açúcar amarelo + 1 colher de sopa de açúcar mascavado granulado
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de café de gengibre em pó
Raspa e sumo de um limão
2 colheres de sopa de amêndoas laminadas

Preparação:
Descasque as maçãs e corte-as em pequenos cubos. Coloque numa taça e regue com sumo de limão, envolva e reserve.
Numa tigela misture a farinha com os flocos de aveia e de centeio, o bicarbonato, a canela, o bicarbonato, a raspa da casca de limão e a manteiga. Amasse tudo com as mãos.
Unte uma tarteira redonda com manteiga. Disponha os cubos de maçãs por toda a tarteira e polvilhe com o açúcar granulado. Depois cubra com a mistura anteriormente preparada. Calque ligeiramente. Polvilhe com as amêndoas laminadas.
Leve ao forno pré-aquecido a 200º durante 30 a 40 minutos, até a massa e as amêndoas estarem douradas. Sirva morno ou frio com uma bola de gelado. Pode polvilhar com mais um pouco de canela antes de servir.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Sopa de tamboril


Como gosto muito de sopa de peixe e nunca deperdiço nada, quando tenho cabeças de peixe ou outras partes para além das postas, utilizo-as frequentemente em caldos ou sopas. Desta vez tinha um tamboril relativamente grande que foi usado numa massada. Quando cheguei da peixaria separei logo os pedaços de peixe mais nobres e deixei à parte o resto: fígados, partes da cabeça e dos ossos do tamboril. Estes pedaços dão imenso sabor ao cozinhado e ainda têm algum peixe agarrado, que foi desfiado no fim e adicionado à sopa. Sopa de peixe é um prato excelente de verão ou de inverno, é saborosa e saudável, ideal para iniciar uma refeição.

Ingredientes:
Tamboril qb (cabeça, fígados e ossos do peixe)
1 cebola grande
1 courgette grande
1 alho francês
1 batata pequena
1 dente de alho
Meio molho de coentros
Sal qb
Azeite qb

Preparação:
Coloque um fio de azeite num tacho e aqueça. Junte a cebola em meias luas, o alho esmagado e o alho francês cortado grosseiramente em rodelas. Deixe cozinhar por 2 minutos. De seguida junte a courgette e a batata cortadas em cubos e os pés dos coentros. Junte o peixe, tempere de sal e adicione água quase até cobrir (um pouco menos do que a cobrir). Tape o tacho e deixe cozinhar até os legumes estarem cozidos. No fim retire todo o peixe e ossos. Se não gostar dos fígados, retire também. Eu gosto e triturei-os juntamente com os legumes, pois dão imenso sabor. Triture todos os legumes com o caldo para obter uma sopa. Retire o peixe que existir nos ossos do tamboril e desfie para juntar à sopa. Antes de servir, junte as folhas de coentros picadas.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Salada de abacate e folhas verdes com paté de atum




Se bem me recordo, a primeira vez que comi abacate foi no México, num guacamole. Gostei, mas não fiquei maravilhada. Com o passar do tempo é que passei a apreciar mais o abacate e a comê-lo de várias formas, em diferentes conjugações de sabores. Talvez por ser "moda", ser considerado um super alimento e estar incluído em tantos pratos, passei a comer muito mais e a gostar cada vez mais. Também passou a ser um fruto mais habitual nas lojas e supermercados e eu comecei a trazer para casa para fazer experiências. E, a verdade, é que passei a adorar! Gosto mesmo muito de abacate! Gosto da textura aveludada e do sabor suave por si só, mas também acho maravilhoso em misturas doces e salgadas. Às vezes esmago o fruto com mel e barro nas torradas do pequeno almoço. Outras vezes gosto de o comer só com sumo de lima ou limão e umas pedras de flor de sal. Já fiz moussse de chocolate com ele, podem ver AQUI, guacamole, saladas várias. Desta vez experimentei paté de atum, ficou ótimo, muito saudável, super saboroso! Espero que gostem!

Ingredientes para 2 pessoas:
2 abacates
2 latas de atum ao natural
2 cenouras
Folhas de beldroegas ou agrião
Folhas de alface frisada
Sumo de lima qb
Tomate seco qb (cerca de uma colher de sopa)
Sal e pimenta qb
Oregãos qb
Azeite e vinagre a gosto, usei balsâmico de figo

Preparação:
Abra os abacates ao meio e tempere-os imediatamente com sumo de lima ou limão para não oxidarem. Reserve duas metades para servir em fatias e retire a polpa das outras duas metades, reservando a casca. Coloque esse abacate na picadora ou processador de alimentos. Junte o atum, umas gotas de sumo de lima e um pouco de oregãos. Triture até obter uma pasta. Recheie duas metades de abacate com este paté.
Lave as folhas verdes e disponha-as num prato. Tempere a gosto (azeite, sal, vinagre balsâmico, limão). Rale a cenoura e disponha por cima. Junte os pedacinhos de tomate seco, as fatias de abacate e mais oregãos. No meio da salada coloque uma metade de abacate em cada prato, recheada com o paté de atum.
Por fim, eu optei por temperar com um pouco de vinagre balsâmico de figo, uma especialidade que trouxe do sul de Espanha e que me vai fazer doer a alma quando chegar ao fim. É tão bom e ligeiramente reduzido (de textura espessa) que nem precisei de pôr azeite. Tenho que procurar rapidamente uma alternativa que possa comprar cá porque, na verdade, nunca provei um vinagre balsâmico tão bom! Temperem as saladas a gosto e com imaginação porque os temperos são, muitas vezes, o truque para uma salada passar de boa a excecional!

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

sábado, 1 de julho de 2017

Gelados de banana e frutos vermelhos





Adoro gelados. De verão e de inverno. De fruta, nata, chocolate, frutos secos, caramelo... não sei se alguma vez provei um sabor de que não gostasse... penso que não. O ano passado fiz gelado de manjericão com doce de tomate, podem ver a receita AQUI, ficou mesmo uma delícia! E um dos sabores que já provei que mais me impressionou foi gelado de Queijo da Serra, também podem ver a receita AQUI.
Este mês o desafio do grupo Dia Um... Na Cozinha era fazer gelados de fruta. Optei por um gelado sem açúcar e quase sem gordura, pois não leva nata nem ovos, mas sim iogurte. É um gelado bastante saudável, perfeito para as crianças e para o tempo de praia. Não pensem que fica sem sabor, porque fica bem docinho devido às bananas e ao mel. A cor também é muito bonita! Espero que gostem da sugestão e que sirva para refrescar o mês de julho que hoje começa. Votos de bom verão para todos! (Além de gelados, adoro o verão, pois claro!!).


Ingredientes para cerca de 0,8 l de gelado:
2 bananas (se forem pequenas, como as da Madeira, use 3)
2 iogurtes gregos naturais (250 gr no total)
3 colheres de sopa de mel
100 gr de mistura de frutos vermelhos congelados

Preparação:
Misture as bananas com os iogurte e o mel e triture tudo com a varinha mágica. junte os frutos vermelhos e misture. Deite o preparado em pequenas formas próprias para gelado ou num recipiente único. Leve ao congelador pelos menos 5 horas. Antes de servir, retire os gelados do congelador uns 10 minutos antes para que não estejam demasiado gelados.