sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Bolo de chocolate e claras # Sugestões de Natal




Por alturas do Natal é bastante frequente fazermos doces que consomem muito gemas. As claras que sobram podem ser congeladas ou transformadas em farófias, suflés ou outras iguarias. Outra boa opção são os bolos sem gemas. Com a utilização das claras ficam muito fofos e macios, com uma consistência fantástica. Este bolo de chocolate fica com uma textura espetacular porque é leve, mas não tem demasiado ar. É quase leve e denso ao mesmo tempo. Isto deve-se ao facto das claras serem batidas com o açúcar até ficarem em picos mesmo muito firmes. Fica um bolo sublime, experimentem para a vossa mesa de Natal!

Ingredientes:
6 claras
200 gr de açúcar + 1 colher de sopa de açúcar baunilhado
100 gr de chocolate em pó
100 gr de farinha com fermento
Cobertura: meia tablette de chocolate com 65% de cacau, 2 colheres de sopa de manteiga sem sal e 2 colheres de sopa de leite

Preparação:
Bata as claras em castelo. Conforme forem ficando espumosas, vá juntando o açúcar aos poucos, tal como se estivesse a fazer merengue. As claras vão formar picos e ficar cada vez mais firmes. Continue a bater na máxima velocidade e a juntar o açúcar. Vai sentir a densidade das claras a aumentar, devem ficar muito presas e rijas. Mantenha a batedeira a bater, mas reduza um pouco a velocidade e junte o chocolate e, por fim, a farinha aos poucos. Depois de juntar a farinha bata apenas  1 minuto para envolver delicadamente.
Coloque o preparado numa forma redonda sem buraco, untada e forrada com papel vegetal e leve a cozer em forno pré-aquecido a 180º durante 30 minutos.
Para a cobertura, ponha o chocolate, o leite e a manteiga a derreter em banho maria, misture muito bem e deite por cima do bolo quando este estiver frio. Decore com bombons.

Bom apetite! Boas Festas!

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

A tecnologia chegou à cozinha

Para quem gosta de cozinhar é essencial fazer boas escolhas no que a eletrodomésticos diz respeito, aparelhos que nos ajudem no dia-a-dia e nos facilitem as tarefas. Cozinhar é, acima de tudo, um ato muito criativo. Se tivermos eletrodomésticos que nos ajudem em alguns passos, ganhamos mais tempo para criar e trabalhar os ingredientes da melhor forma. E se tivermos eletrodomésticos inteligentes, interativos e intuitivos, nesse caso elevamos a nossa cozinha a outro nível!

Para a minha cozinha escolhi, já desde há muitos anos, a Candy. Recentemente a marca tem apostado numa inovação tecnológica extraordinária. Enquanto há uns anos eram apenas as salas que beneficiavam da tecnologia de topo, atualmente a inovação chegou às cozinhas. E, com a Candy, chegou de uma forma incrível!
Depois de ter sido pioneira na primeira gama completa de eletrodomésticos com ligação WiFi, a marca lançou, este ano, um forno interativo e uma máquina de lavar roupa inteligente, que comunica com o utilizador... até fala! É verdade, a Bianca fala para nos aconselhar os melhores programas de lavagem, como tirar uma nódoa ou para nos fornecer estatísticas sobre os consumos energéticos. Memoriza os nossos hábitos de lavagem e, desta forma, entende as necessidades de cada utilizador, fazendo poupar tempo e conseguindo resultados de topo na lavagem da roupa.
A Bianca é uma máquina de lavar roupa verdadeiramente intuitiva e inteligente e usa essa inteligência para facilitar o dia-a-dia de quem a usa. Consegue estabelecer verdadeiros diálogos com o utilizador, através do assistente de voz e da aplicação no smartphone. Num único botão, o Smart Ring, podemos controlar todas as funções e programas e com a aplicação Simply Fi podemos descarregar programas extra num total de mais de 700 combinações de lavagem. Confuso? Claro que não porque a máquina aconselha a melhor opção de lavagem conforme o tipo de roupa que queremos tratar. Só temos mesmo que pôr as peças lá dentro!

A Bianca foi recentemente apresentada no Estoril, onde a Candy também já tinha apresentado o inovador forno Watch & Touch. Trata-se de um forno interativo com câmara incorporada no interior.  Na porta de ecrã tátil podemos ir acompanhando as receitas em permanência sem ter de abrir o forno com muita regularidade. O ecrã de 19 polegadas permite também visualizar um imenso livro digital de receitas, com tutoriais explicativos, indicações de quantidades e modos de confeção de receitas pré programadas. Mas também pode memorizar as suas receitas e criar o seu próprio livro de culinária. Quando voltar a repetir aquela receita da avó que toda a família adora, só tem que aceder a ela e pôr o forno em funcionamento, todos os parâmetros já estarão definidos. O Watch & Touch também dispõe de conectividade online para aceder a sites de culinária e de notícias. Veja... toque... e cozinhe! Este forno é o futuro, mas já existe, hoje, e vai revolucionar a forma como cozinhamos!

A apresentação da Bianca





A home stylist Ana Antunes é a embaixadora do forno Watch & Touch







sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Tarte de noz # Sugestões de Natal



Há muito que andava para pôr esta ideia em prática. Ideia simples, mas deliciosa: Tarte de Noz. No terreno dos meus pais há uma nogueira que, na maioria dos anos, dá muitos frutos. É o que acontece já há dois outonos, as nozes são muitas e boas. Apanham-se no início do outono, secam-se ao sol e só depois se retiram os frutos dentro da casca, que é verde quando se colhe o fruto da árvore, mas depois de seca fica escura. É dessa casca que sai a noz com a casca rija, como normalmente a compramos.
Como gosto muito de todos os frutos secos e de noz em particular, já tenho feito vários bolos e pratos salgados com as nossas nozes. Mas a ideia mais gulosa que pairava no meu palato já há algum tempo era a de fazer uma tarte idêntica à tarte de amêndoa. Recordo-me da tarte de amêndoa que a minha avó paterna, mulher de mão cheia para doces e muito gulosa, fazia. Era muito caramelizada, muito gulosa e muitooo boa! Pelo Natal e pela Páscoa ela fazia-a quase sempre e, na maioria das vezes, a meu pedido. Fazer tartes é qualquer coisa que nos traz memórias muito confortáveis, pelo menos a mim... É algo que associo às avós e a épocas festivas. É como o nosso arroz doce (podem ver a receita AQUI), que é presença obrigatória em todas as festas de família. Já há uns anos que a tarefa de fazer as tartes e o arroz doce cabe-me a mim, apesar de não ser avó... mas sou a cozinheira da família e a anfitriã dos encontros familiares, nomeadamente dos que envolvem comida. A minha avó materna ainda nos ajuda com as rabanadas ou outros doces mais tradicionais, mas a energia já sobra mais para os comer do que para os fazer, o que é compreensível, tendo em conta os quase 88 anos de vida que já carrega nas mãos experientes.
Testada que está a tarte de noz (e aprovadíssima, há que dizer!), vou fazê-la para a nossa mesa da Consoada deste ano. Deixo-vos a sugestão para que possam diversificar um pouco as sobremesas que apresentam à vossa família e convidados. Espero que gostem.

Ingredientes:
Massa: 300 gr de farinha, 200 gr de manteiga sem sal, 100 gr de açúcar
Recheio: 150 gr de miolo de noz, 100 gr de açúcar, 100 gr de manteiga sem sal, 6 colheres de sopa de leite
1 laranja para guarnecer

Preparação:
Comece por fazer a massa, misturando e amassando todos os ingredientes. Faça uma bola, enrole em película aderente e coloque no frigorífico durante 30 minutos. No fim desse tempo, estique a massa com o rolo, cubra uma tarteira untada e forrada com papel vegetal e coloque a massa em cima. Leve a cozer ao forno durante 12 minutos a 200º.
Prepara o creme. Num tacho junte a manteiga, o açúcar, o leite e a noz. Leve ao lume até a manteiga derreter e depois deixe ferver apenas 1 a 2 minutos. Espalhe este preparado em cima da massa da previamente cozida e leve novamente ao forno durante uns 15 minutos ou até estar dourado e caramelizado, mas sem queimar. Dica: o caramelo, depois de arrefecido, vai solidificar um pouco mais, pelo que não deve deixar muito tempo no forno para não ficar demasiado rijo depois de frio.
Antes de servir, decorem com raspas de casca de laranja e algumas rodelas do fruto, este aroma faz um delicioso contraste com o doce da tarte e quem quiser pode comer a laranja, pessoalmente eu gosto.

Bom apetite e Boas Festas! 

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Pato assado com mostarda, laranja e arroz de miúdos # Sugestões de Natal




Gosto bastante de pato, seja em arroz, em empadas ou assado no forno. O pato dá-se bem com vários tipos de acompanhamentos. Batatas ou legumes assados, couve estufada ou cozida ao vapor, puré de batata doce, de nabo ou de abóbora com laranja... ou então um belo arrozinho. Feito com os miúdos do pato, pois claro! Desta vez fiz o arroz com os miúdos e também lhe juntei cogumelos, ficou um arroz absolutamente maravilhoso porque ficou muito "no ponto", solto e suculento. Para os doidinhos deste cereal, como eu, é de comer e chorar por mais! Para ser sincera, neste jantar, tenho a certeza de que comi mais arroz do que pato. Como fazer arroz bem feito, confecionado no ponto, não será fácil para todas as pessoas. Mesmo os cozinheiros mais experientes, de vez em quando deixam passar mais um minuto e lá se vai a textura do arroz... Temos que estar muito atentos. Eu tenho uma placa vitrocerâmica com temporizador e faço usso dele. A partir do momento em que o caldo ferve e que junto o arroz, programo apenas 5 minutos, se for arroz carolino. Depois a placa apaga-se, mas deixo o tacho mais uns 5 minutos no calor para acabar de cozer o arroz. Isto só resulta numa vitrocerâmica (poupa-se imensa energia!). Se for uma placa de indução (poupa ainda mais), que só está quente, se estiver ligada, não resultará desligá-la tão cedo eventualmente. E se for uma placa a gás, também arrefece quando a desligamos. Nesses casos, deixem o arroz cozer 10 minutos e provem. Mais 2 minutos de descanso e será o suficiente para obter um arroz bem soltinho. A menos que gostem de arroz muito cozido... mas não façam isso ao arrozinho, que é pecado e não se deve pecar em época natalícia! Boa? ;)
Voltando ao pato, como é uma ave com bastante gorduta, o segredo para ficar saboroso está na temperatura a que o cozinhamos e nos temperos. Desta vez barrei-o de forma simples, apenas com laranja, mostarda e sal e ficou ótimo. Usem a mostarda que preferirem, eu gosto da de Dijon, mesmo bastante forte. Esta sugestão de pato com o respetivo arroz, pode ser uma ideia para o almoço de natal, por exemplo. Espero que gostem e se possam inspirar!

Ingredientes:
1 pato de tamanho médio (1,5 kg sensivelmente)
Sumo de meia laranja
1 laranja inteira
3 colheres de sopa de mostarda de Dijon
1 colher de sobremesa de ervas de Provença
Sal grosso qb

Para o arroz: 1 chávena de chá de arroz carolino, miúdos do pato, 1 dente de alho, 1 cebola média, 200 gr de cogumelos marrom dos pequenos. Sal e pimenta qb. Um fio de azeite.
Servi ainda acompanhado de couve coração cortada em juliana e salteada com azeite e alho.

Preparação:
Numa tigela junte o sumo de meia laranja, a mostarda, as ervas e o sal, faça uma pasta e barre todo o pato com ela. Coloque também uma larranja inteira dentro do pato. Leve ao forno a 220º e, de vez em quando, pincele a pele do pato com um pouco de azeite (mesmo pouca quantidade) para a pele ficar mais crocante. Faça isto umas 3 vezes. Ao fim de uns 40 minutos e se a pele já estiver tostada, vire o pato para que cozinhe do outro lado: cerca de 40 minutos mais. Quando estiver pronto, deixe repousar 5 a 10 minutos para a proteína da carne estabilizar, só depois o deve cortar. Sirva com o molho que ficou no tabuleiro. Como o pato é bastante gordo, vai largar sucos que, misturados com o sabor da mostarda e da larana, fazem um molho saboroso.

Retire um pouco desse molho e cubra o fundo de um tacho com ele (ou com um fio de azeite). Junte a cebola e o alho picados e uma haste de tomilho deixe refogar até a cebola amolecer sem ganhar côr. Junte os miúdos do pato cortados em pedacinhos pequenos e deixe refogar juntamente com a cebola. Depois junte os cogumelos partidos em quartos. Cerca de 5 minutos depois junte 2 chávenas e meia de caldo de carne ou de aves. Tempere de sal e espere que o caldo ferva. Junte o arroz, mexa e deixe cozer até estar no ponto. Sirva com o pato e com couve salteada ou outro legume.

Bom apetite e Boas Festas!





sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Biscoitos de laranja # Sugestões de Natal


Chegou o mês do Natal e aquela altura em que sentimos que mais um ano termina e que o tempo passa tão depressa... Pelo menos eu sinto! Quando era mais nova não pensava nisso, mas de há uns anos a esta parte, mesmo antes de ter entrado nos 40, comecei a sentir o tempo de forma diferente. Passa depressa, é um facto. Quando vivemos períodos menos bons, isso até se torna positivo, tudo passa e tudo se renova... mas também passa rápido quando estamos felizes e bem. Por isso, meus amigos, há que aproveitar a vida ao máximo! Sorrir, falar muito, cozinhar, comer, viajar, estar com quem realmente nos faz sentir bem! 
E como hoje é dia 1, há desafio no grupo Dia Um... Na Cozinha e este mês o tema era "biscoitos". Aproveitei para fazer uns biscoitos de laranja natalícios, que são bons para acompanhar chá ou para oferecer nos cabazes de Natal. Espero que gostem. Beijos para todos e votos de um dezembro cheio de sorrisos e paparocas das boas.

Ingredientes:
300 gr de farinha
200 gr de manteiga sem sal
150 gr de açúcar
1 gema
Raspa da casca de 2 laranjas (só a parte laranja da casca, o vidrado)
Para o glacé: 100 gr de açúcar em pó e algumas colheres de sopa de sumo de laranja. Raspas de chocolate negro (opcional).

Preparação:
Amasse todos os ingredientes bem, forme um rolo, envolva em película aderente e leve ao frigorífico cerca de 30 minutos. Depois estique a massa com o rolo, corte no formato que desejar (eu usei um cortante estrela e outro em forma de árvore de Natal) e leve ao forno pré aquecido a 190º durante 12 a 15 minutos até os biscoitos estarem levemente dourados. Retire do forno e deixe-os arrefecer. Numa taça tenha o açúcar em pó e vá deitando sumo de laranja (muito pouco de cada vez, 1 a 2 colheres de chá), mexa bem até formar um glacé. Decore os biscoitos com este glacé e com raspas de chocolate. Deixe o glacé arrefecer até solidificar e sirva os biscoitos ou guarde-os em latas para oferecer no Natal.

Bom apetite e Boas Festas!








domingo, 26 de novembro de 2017

Creme brulée de coco # Sugestões de Natal



Esta é uma sobremesa leve e fresca, ideal para terminar uma refeição mais farta, quando já estamos bastante satisfeitos, mas queremos apenas qualquer coisa que nos adoce a boca. É algo entre o leite creme e o pudim, um creme brulée, ou seja, um leite creme cozido no forno. Fica com um sabor a coco subtil, nada de enjoativo. Servi a sobremesa num jantar entre amigos e foi muito apreciada por todos. A um mês do Natal, penso que esta é uma boa sugestão para quem gosta de experimentar doces um pouco diferentes e, neste caso, mais leves para servir na época das festas.

Ingredientes para 6 taças individuais:
6 gemas
6 colheres de sopa de açúcar
400 ml de leite de coco
400 ml de leite meio gordo
1 colher de sopa de amido de milho (maizena)
Coco ralado qb para polvilhar

Preparação:
Junte as gemas com o açúcar numa tigela de vidro e coloque-a em cima de um tacho com água. Vá mexendo com a vara de arames, enquanto engrossa em banho maria. Depois vá juntando o leite de coco em fio. Por fim desfaça a farinha maizena no outro leite (frio) e deite este leite também em fio na tigela, sem nunca parar de mexer. Vá mexendo com a vara de arames para não ganhar grumos. Faça isto durante cerca de 10 minutos, só até engrossar leigeiramente. Quando tiver um preparado liquido, mas mais espesso, ligeiramente grosso, desligue o lume. Distribua o preparado por taças individuais que possam ir ao forno. Leve a cozer em forno pré-aquecido a 225º num tabuleiro em banho maria (coloque as taças dentro do tabuleiro e apenas um pouco de água, cerca de meio dedo de altura de água). Cozem assim durante 40 a 45 minutos. Deixe arrefecer, polvilhe com coco ralado e sirva nas taças individuais à temperatura ambiente ou ligeiramente fresco.

Bom apetite!







segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Esparguete com camarão, ameijoas e tomate cereja


Esta é uma receita tão simples, mas que tem os seus truques para que tudo fiquei no ponto. A massa, os mariscos ou frutos do mar, tudo tem o seu tempo próprio de cozedura para ficar suculento. Marisco seco é a pior coisa que existe... e saber como fazer massa no ponto também nem sempre é uma técnica dominada por todos. A massa deve ser sempre cozida em água abundante. Não adianta de nada porem um fio de azeite ou outras gorduras, se cozerem a massa em pouca água. Uma panela grande e água abundante, são os ingredientes principais para que a massa coza à vontade, sem colar e obterem o esparguete perfeito. Se cozerem esparguete ou outra massa longa até podem usar uma daquelas panelas altas próprias, eu tenho uma e gosto, tem um recipiente com furos onde se pode escorrer a massa de imediato. Serve para massas compridas, mas também pode ser usada para todas as outras. Juntem a massa à água só quando esta ferver.
Depois de cozerem e escorrerem a massa, podem, posteriormente, juntar um pequeno fio de azeite e misturar tudo para que a massa não cole. Mas não se esqueçam, que o fundamental é que coza em água abundante e durante o tempo certo, se cozer demais, vai ficar mole e colar. Quando cozerem massa, arroz ou qualquer outr alimento, adicionem o sal só depois da água ferver, pois ela atinge o ponto de fervura mais rapidamente sem sal.
Em relação ao marisco, os tempos de cozedura são sempre muito pequenos e o marisco é muito sensível, pelo que se for cozinhado em demasia, fica seco, mole e sem sabor. Eu prefiro usar camarão inteiro, mas há algum miolo de camarão grande que é sabororo e muito prático. Neste caso ainda têm que ter mais cuidado em cozinhá-lo pouco tempo. Tem que ser descongelado com antecedência, de preferência no frigorífico. Nunca o usem congelado porque vai largar imensa água. Depois de descongelado, sequem bem em papel absorvente antes de usar e assim vão ficar bons.
Em relação às ameijoas, usei frescas, neste caso, normalmente não gosto das congeladas porque são muito secas. O esparguete utilizado nesta receita foi esparguete com sabor a caril, mas podem usar do mais comum. Eu adoro pratos de massa e este é mais um que faço com frequência. Simples e bom, espero que gostem e que as dicas para cozer massa vos sejam úteis ;)

Ingredientes para 4 pessoas:
200 gr de esparguete com sabor a caril
400 gr de miolo de camarão grande
1 kg de ameijoa branca fresca
250 gr de tomate cereja
Meio molho de coentros frescos
4 dentes de alho
0,7 dl de azeite
Sal qb
1 malagueta ou outro picante se gostarem

Preparação:
Comece por pôr água a ferver para cozer a massa. Numa panela grande deite cerca de 2 litros de água e adicione o sal só quando esta ferver. Quando ferver, junte o sal grosso e a massa. Mexa até a massa mergulhar completamente na água e ficar solta para que os fios de esparguete não colem. Deixe cozer cerca de 10 minutos. Ao fim desse tempo prove e veja se a consistência está do seu agrado. De imediato, escorra a massa e reserve.
Numa frigideira anti-aderente deite metade do azeite e 2 dentes de alho finamente picados. Quando o alho começar a estalar, junte as ameijoas previamente lavadas e escorridas. Junte metade dos coentros picados e os tomates cereja abertos ao meio. Deixe as ameijoas cozinharem até abrirem (não mais de 5 minutos). Assim que estiverem abertas, junte-as à massa. Na mesma frigideira deite o restante azeite, o restante alho e, assim que o azeite estiver quente, junte os camarões. Tempere com sal e malagueta picada e frite os camarões durante 2 minutos no máximo. O azeite deve estar bem quente para que fritem/salteiem rapidamente. Junte-os à massa, envolva tudo, polvilhe com mais coentros picados e sirva de imediato.

Bom apetite! 

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Bolo de abóbora assada e noz



Utilizo muito a abóbora nos meus pratos. É um alimento de que gosto bastante, é versátil e saudável. Uso vários tipos de abóbora (menina, manteiga, hokaido) tanto em receitas salgadas, como doces. Na sopa é raro pôr cenoura, opto pela abóbora porque não tem tanto açúcar. Fiz este bolo para o aniversário do meu pai. É um bolo delicioso, fica muito fofo, ligeiramente húmido e não é doce demais. Como a abóbora já é doce, não há necessidade de "puxar" pelo açúcar. Fica mesmo muito saboroso e os pedacinhos de noz no bolo fofo dão muita textura. Utilizei as nozes da nossa nogueira, que este ano foram muitas e bastante saborosas. O meu pai disse que o bolo era "a cara dele" e o sabor também ficou aprovado!

Ingredientes:
350 de abóbora manteiga (pesada depois de assada)
280 gr de açúcar
5 ovos inteiros
150 gr de noz moída
100 gr de farinha com fermento
Para a cobertura: 3 colheres de sopa de açúcar em pó + água qb para o glacé, cascas de laranja, nozes e alfazema qb.

Preparação:
Comece por assar a abóbora no forno a 200º. Corte uma abóbora manteiga ao meio (tamanho pequeno, cerca de 25 cm), abrindo-a no sentido do comprimento. Coloque-a, com a casca para cima, num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve a assar por 30 minutos ou até estar macia. Depois deixe arrefecer completamente e retire a polpa da abóbora com uma colher, deitando fora a casca. Deve obter 350 gr de polpa de abóbora. Depois de assada a abóbora, baixe a temperatura do forno para os 180º. 
Bata os ovos inteiros com o açúcar durante pelo menos 10 minutos ou até obter uma mistura tipo mousse, bastante fofa. Junte a polpa de abóbora e misture bem. Misture a farinha peneirada com a noz moída e envolva delicadamente na massa. Deite este preparado numa forma redonda sem buraco, forrada com papel vegetal e untada. Leve ao forno durante cerca de 40 minutos ou até o bolo estar cozido, mas fofo (pode fazer o teste do palito e retire-o assim que a massa não esteja húmida, não deixe mais tempo para não secar).
Para o glacé, misture o açúcar com a água até formar uma pasta. Faça uns riscos de glacé por cima do bolo, polvilhe com alfazema e decore com raspas finas de casca de laranja e algumas nozes.

DICA: esta forma de cozinhar a abóbora é a que prefiro para a maioria dos doces, incluindo sonhos de Natal, porque não há desperdício, porque a abóbora fica mais saborosa, sem água e não perde as propriedades e o sabor, como quando é cozida, que fica muito ensopada em água.


terça-feira, 7 de novembro de 2017

Hambúrgueres de frango e feijão preto



Refeições práticas, nutritivas e saborosas para o dia-a-dia. É este o desafio de qualquer família, principalmente quando há crianças. Não é o meu caso, cá em casa não há crianças, mas existem dois adultos esfomeados e necessitados de comida saudável e equilibrada. Esta refeição que hoje vos proponho também tem a vantagem de ser bastante económica. Com um peito de frango e uma lata de feijão, consegui 6 hambúrgueres de bom tamanho. Como somos só dois, comemos alguns no próprio dia e congelei outros, mas seria o suficiente para 4 a 6 pessoas. Para acompanhar fiz abóbora espiralizada, uma espécie de esparguete de abóbora salteado com alho e azeite, uma delícia super rápida de preparar. 

Ingredientes:
1 peito de frango
1 lata pequena (cerca de 250 gr peso escorrido) de feijão preto
1 raminho de alecrim fresco
1 raminho de tomilho fresco
1 cebola média
2 a 3 colheres de sopa de pão ralado
1 dentes de alho
1 pedaço de gengibre ralado (cerca de 5 cm)
1 colher de chá de pimentão doce
Azeite qb
Sal e pimenta qb

Preparação:
Pique a carne de frango crua e coloque-a numa tigela. Pique a cebola e as ervas aromáticas e junte ao frango. Junte sal, pimenta, o pimentão doce, o alho picado, o gengibre ralado e misture tudo. Junte os feijões, depois de escorridos. Por fim, vá juntando o pão ralado até obter uma consistência que seja moldável, mas não demasiado seca. Molde os hambúrgueres com a ajuda de um aro redondo. Congele-os. Se os consumir no próprio dia, ainda assim beneficiam em ter uma hora de congelador para ficarem mais firmes no momento de fritar ou grelhar.
Eu fritei-os com um fio de azeite minímo, numa frigideira anti-aderente. Acompanhei de esparguete de abóbora e tomates cereja.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Salada de Halloween




Esta salada foi a forma que arranjei de fazer uma receita de Halloween saudável. Ponham os miúdos a comer verdes, nem que sejam aterradores e divirtam-se com os mais pequenos na cozinh!

Ingredientes em quantidades a gosto:
Ovos
Alface
Tomates cereja
Azeitonas em rodelas
Alcaparras
Azeite e sal ou outro tempero a gosto
Corante alimentar vermelho e azul

Preparação:
Coza os ovos com água e sal. Depois de cozidos, parta as cascas com muito cuidado, mas não as retire. Mergulhe os ovos em água com corante alimentar vermelho e azul (para fazer um tom de roxo). Deixe os ovos assim de um dia para o outro ou, pelo menos, durante 5 horas. Depois retire-lhes a casca, vai obter um efeito raiado de "olhos aterradores". Corte os ovos ao meio e faça uns olhinhos com rodelas de azeitona e alcaparras ou um pouco de molho de ketchup. Disponha os ovos sobre folhas de alface, junte tomate cereja, alcaparras e azeitonas. Tempere a gosto e sirva.

Bom apetite! Divirtam-se!



domingo, 29 de outubro de 2017

Broas de Cacau




Em vésperas de Halloween e do Dia de Todos os Santos, data em que há a tradição de fazer as "Broas dos Santos", sugiro estas broas de cacau. Não são tão tradicionais, mas são uma maravilha para quem gosta do sabor amargo do cacau. Quem preferir umas broas mais doces, pode usar chocolate.
Para quem gostar das mais tradicionais, espreitem AQUI a receita que fiz o ano passado, ficaram umas broas muito saborosas.

Ingredientes para 20 a 25 broas:
125 gr de cacau em pó
100 gr de açúcar branco
130 gr de açúcar amarelo
125 gr de manteiga sem sal
120 gr de farinha
1 colher de café de fermento em pó
1 colher de café de bicarbonato de sódio
1 ovo
1 colher de chá de essência ou extrato de baunilha

Preparação:
Bata a manteiga com os açúcares. Junte o ovo e a baunilha e continue a bater. Junte todos os ingredientes secos: farinha, cacau, bicarbonato e fermento. Bata até estar tudo bem misturado, tape com película aderente e reserve 30 minutos no frigorífico.
Aqueça o forno a 190º. Molde bolas com a massa, achate-as levemente e coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal. Leve a cozer ao forno durante 15 minutos. Quando retirar as broas do forno, polvilhe-as com açúcar em pó e alfazema. São excelentes para servir ao lanche, com chá, café ou leite simples, que contrasta lindamente com o forte sabor a cacau.

Bom apetite e bom fim-de-semana!

Antes de irem ao forno:


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Quiche de salmão e courgette



Adoro fazer este tipo de refeição: quiches, pratos de massa ou risottos com o que tenho disponível no momento. São soluções práticas, rápidas e que permitem aproveitar todos os alimentos sem desperdício. No dia em que fiz esta quiche tinha dois lombos de salmão, o que era pouco se fosse servido "sozinho", mas que rende imenso se for confecionado de outras formas que não seja grelhado ou no forno. Como tenho sempre legumes frescos e também tinha uma massa folhada de compra, juntei alguns ingredientes muito simples e fiz uma deliciosa quiche. Espero que gostem!

Ingredientes para uma quiche para 4 a 5 pessoas:
1 placa de massa folhada ou quebrada
1 pacote de nata (usei creme culinário de arroz)
3 ovos tamanho L
2 lombos de salmão selvagem
1 courgette não muito grande
1 cebola pequena
Sal e pimenta qb
12 tomates cereja
1 colher de sobremesa de ervas finas ou outras a gosto para polvilhar

Preparação:
Corte a courgette em tiras e depois em cubinhos (não utilize a parte interior, das sementes, pois tem muita água, reserve-a para a sopa). Corte os lombos de salmão em pedaços com cerca de um dedo de grossura. Tempere o peixe e a courgette com sal, pimenta e umas gotas de limão.
Pique a cebola. Numa tigela deite os ovos, o creme culinário de arroz, a cebola picada e tempere de sal e pimenta. Bata com a vara de arames. 
Disponha a massa folhada numa tarteira. Por cima coloque os cubos de courgette e os pedaços de salmão, tudo cru. Deite por cima a mistura de ovos e creme de arroz. Termine com alguns tomates cereja cortados ao meio. Leve ao forno pré-aquecido a 200º durante cerca de 30 minutos ou até a massa ter empolado e estar dourada. Retire do forno e polvilhe com ervas finas. Deixe repousar 10 minutos antes de cortar e servir.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!



sábado, 21 de outubro de 2017

Bolo húmido de noz




O blog fez anos e não houve bolo? Houve pois! E estava delicioso! Tenho mesmo obrigação de avisar que este bolo é um pouco viciante... comam a primeira fatia e depois digam-me quando conseguiram parar ;)

Ingredientes:
6 ovos 
200 gr de miolo de noz
200 gr de açúcar + 4 colheres de sopa
4 colheres de sopa de água
Metades de noz para guarnecer

Preparação:
Pré aqueça o forno a 180º e unte uma forma redonda (forre também o fundo com papel vegetal).
Numa tigela ponha 2 ovos inteiros e 4 claras, reservando as 4 gemas para o creme de ovo. Bata os ovos e as claras com o açúcar, primeiro em velocidade lenta e depois em velocidade máxima na batedeira até obter um preparado volumoso e espumoso. Triture as nozes até ficarem em pó, numa espécie de farinha. Envolva as nozes trituradas no preparado anterior. Deite o preparado na forma e leve a cozer a 180º durante 35 minutos. 
Enquanto o bolo coze, faça o creme. Num tacho coloque as 4 gemas, 4 colheres de sopa de açúcar e 4 colheres de sopa de água, leve a lume muito brando e vá mexendo sempre até o creme engrossar. Deixe o creme arrefecer e coloque-o por cima do bolo antes de servir. Guarneça também com algumas metades de nozes.

Bom apetite e bom fim-de-semana!

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Abobrinhas recheadas com bacalhau e o 4º aniversário do blog



A Deliciosa Paparoca faz hoje 4 anos :) Por acaso a data calha numa fase em que outros projetos me têm ocupado bastante e deixado pouco tempo para o blog, mas não podia deixar de partilhar hoje convosco uma receita especial. Ao longo de 4 anos o blog tem sido uma inspiração para mim porque o trabalho criativo ajuda-me a desenvolver todo o outro trabalho, ajuda-me a estar equilibrada e feliz e ajuda a rechear com mais sabor as barrigas cá de casa! Por isso o blog tem sido um projeto conseguido, que vou manter enquanto me der gozo e satisfação, como sempre disse. 
Continuo a agradecer imenso a quem segue as minhas receitas, aí "desse lado". Mantenham-se por cá, deixem os vossos comentários, críticas, elogios, sugestões. Vocês são a razão de ser da partilha das minhas receitas!
Continuo a agradecer a todos os amigos que provam as minhas paparocas e que partilham alegremente a mesa comigo. Gosto muito dos meus verdadeiros amigos e de os ter sentados à minha mesa. Continuo a agradecer ao meu marido, que é o "provador oficial" da Deliciosa Paparoca, é o ajudante que arruma sempre tudo, é o meu grande amigo e o meu companheiro de refeição todos os dias, que come a comida fria porque tem que esperar que eu tire as fotografias, sem nunca lhe faltar a paciência.
Gostava também de vos pedir que, nesta altura em que passamos tempos tão conturbados, tanto no país como no mundo, pensem um pouco no que comemos e na forma como comemos. Não desperdicem comida porque é um bem sagrado. Estejam atentos ao que compram, à origem dos alimentos. Dentro das possibilidades financeiras de cada um, tentem comprar produtos saudáveis, não processados, de produção o mais sustentável possível, de origem nacional e biológica sempre que possível. Leiam os rótulos, informem-se sobre a origem dos alimentos, cozinhem-nos com respeito e organizem as refeições semanalmente para minimizar o desperdício alimentar. Nós somos mesmo o que comemos e o planeta é o nosso habitat. Se o destruímos a este ritmo, vamos ser cada vez mais infelizes, mais pobres em todos os sentidos e vamos deixar uma herança muito pesada às próximas gerações.
Um beijo grande para todos e boas paparocas!

Ingredientes para 4 pessoas:
2 abóboras hokaido ou de outro tipo, desde que não sejam muito grandes (500 a 800 gr cada, eu uesei hokaido biológicas)
2 postas médias de bacalhau
1 cebola grande
2 vagens/raízes de curcuma fresca (ou uma colher de chá de curcuma em pó - açafrão das Índias)
3 dentes de alho
1 dl de azeite
Sal e pimenta qb
Para o bechamel: 1 colher de sopa de manteiga, 1 colher de sopa de farinha sem fermento, água de cozer o bacalhau qb
2 colheres de sopa de queijo ralado (o que mais gostarem, desde mozarella a queijo da Ilha, conforme gostam mais ou menos intenso)
12 camarões grandes
Mistura de ervas finas (ou outras a gosto) qb para polvilhar

Preparação:
Comece por retirar a "tampa" às abóboras e asse-as durante 25 minutos no forno a 200º. Deixe-as arrefecer, retire as sementes e a polpa, deixando apenas uma "parede" à volta. Reserve a polpa e as abóboras, que vão servir de "recipiente". 
Corte a cebola em finas rodelas e refogue-a no azeite com os alhos laminados até amolecer, mas sem ganhar cor. 
Coza o bacalhau em água durante 5 minutos. Despois desfaça-o em lascas, retirando espinhas e peles. Junte as lascas de bacalhau à cebolada, bem como a curcuma ralada (no caso de ser fresca) ou em pó. Junte também a polpa de abóbora e misture tudo, deixando cozinhar por 2 a 3 minutos. 
Entretanto, num tacho à parte, vá fazendo o molho bechamel. Deite a manteiga no tacho e, quando esta estiver a ferver, junte a farinha e mexa rapidamente. Reduza o lume e vá juntando água de cozer o bacalhau aos poucos, até obter um molho bastante espesso. Por fim tempere com pimenta, retifique de sal e junte o queijo ralado, misturando bem para que derreta. Junte este preparado ao bacalhau de cebolada. 
Com um pouco de azeite e um dente de alho laminado, salteie os camarões durante 2 minutos. Tempere de sal e pimenta e umas gotas de limão. Corte-os em pedaços (reserve um inteiro por pessoa para guarnecer) e junte ao preparado de bacalhau, envolvendo tudo bem. Enquanto está bem quente, deite o preparado nas abóboras até as rechear completamente, polvilhe com as ervas e coloque um camarão em cada uma. Sirva de imediato. Eu servi com uma salada verde a acompanhar.

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Bacalhau com farinheira e tomate



Fiz mais uma receita de bacalhau diferente, inventada e que correu bem :) Até porque se torna fácil, dado que o bacalhau liga bem com tudo! Este prato tem sabores bastantes alentejanos, muita tomatada e a farinheira, fica muitooo suculento. A doçura da batata doce equilibra a acidez do tomate e o salgado do bacalhau, na minha opinião liga tudo muito bem. Ficou uma delícia, quem provou gostou muito. Espero que também experimentem e apreciem.

Ingredientes para 4 pessoas:
4 postas bacalhau
1 farinheira
2 batatas doce (cerca de 600 a 700 gr de batata)
1 alho francês grande
1,5 dl de azeite 
1 lata de polpa de tomate grande ou 8 tomates maduros
Oregão secos qb 

Preparação:
Comece por cozer o bacalhau em água durante apenas 8 minutos. Corte o alho francês em rodelas e refogue-o no azeite. Quando estiver macio, junte a farinheira e desfaça-a com um garfo. Depois junte o tomate e desfaça-o também. Deixe cozinhar durante 3 minutos. Junte o bacalhau depois de cozido e removidas as peles e espinhas. Deixe cozinhar mais 2 minutos e vá mexendo. Não precisa de sal, pois o bacalhau já tem o suficiente.
Lave muito bem as batatas e corte-as em rodelas finas. Coza-as durante 2 minutos na água de cozer o bacalhau. Depois de ter as rodelas de batatas cozidas e o preparado de bacalhau pronto, monte o prato.
Pode fazer num tabuleiro ou em aros de empratamento e servir em doses individuais. Disponha uma camada de batatas não muito alta (cerca de 2 cm), por cima disponha uma generosa quantidade de bacalhau e por cima novamente uma camada de batatas. Regue com um fio de azeite, polvilhe com oregãos e leve ao forno a 200º a gratinar durante cerca de 15 minutos. Sirva com uma salada verde.

Nota: eu fiz algumas doses individuais empratadas em aros e coloquei o que sobrou num pequeno tabuleiro. Como acabou a batata doce, substitui por rodelas de courgette, que foi crua ao forno (neste caso não precisa de cozedura prévia).

Bom apetite! Comam bem e de forma saudável!


domingo, 24 de setembro de 2017

Bolo de bolacha gelado



Este foi o bolo que fiz para o 30º aniversário do meu querido sobrinho André. Bolo de bolacha, como ele pediu. Uma versão um pouco diferente da tradicional, mas que também ficou deliciosa. Fica muito cremoso e geladinho é fantástico. A minha sugestão é que o coloquem no congelador e tirem para o frigorífico 45 minutos antes de servir. O meu sobrinho gostou muito do bolo e isso é o que me deixa mais feliz!
Ele fez 30 e faz parte da minha vida há 25. Lembro-me bem das primeiras vezes que o vi, quando eu e o meu marido (na altura namorado) o íamos buscar ao infantário. Claro que cresceu muito desde então e não foi só fisicamente, foi como pessoa, que é o mais importante e que nem todos conseguem. Tenho muito orgulho no meu sobrinho e uma enorme amizade por ele!
Espero que vocês experimentem o bolo e que seja um sucesso tão grande como foi por aqui!

Ingredientes para um bolo grande:
5 pacotes de bolacha torrada (usei das retangulares)
4 chávenas (das de chá) de café forte sem açúcar + 1,5 a 2 chávenas iguais de leite magro (coloquem mais ou menos leite, conforme queiram o sabor do café mais ou menos intenso)
1 lata de leite condensado cozido (usei do cozido magro)
2 pacotes de natas para bater
500 gr de queijo ricotta (podem usar outro queijo creme,se preferirem)
Açúcar em pó a vosso gosto (usei cerca de 100 gr)
Raspas de chocolate e nozes picadas para guarnecer

#Vão precisar de um aro redondo de forma de bolo


Preparação:

Comece por preparar os cremes para que estes descansem no frio pelo menos uma hora antes de os usar. Bata o leite condensado com a batedeira elétrica até se desfazer completamente.Qunado estiver uniforme e sem grumos, vá incorporando as natas previamente montadas (batidas até ficarem firmes). Continue a bater com a vara de arames da batedeira para que fique tudo bem envolvido.
Em relação ao creme de queijo ricotta: deite o conteúdo das embalagens de queijo numa tigela e vá batando também com a batedeira elétrica para desfazer tudo. Junte açúcar em pó a gosto até estar doce o suficiente. Se gostarem, juntem umas gotas de essência de baunilha. Quando obtiverem um creme consistente, guardem no frio. Deixem ambos os cremes repousar cerca de uma hora no frigorífico.
Num prato fundo junte os cafés fortes e o leite. Num prato grande, coloque um aro de forma de bolo redonda. Vá embebendo as bolachas na mistura de café e dispondo-as até cobrirem toda a circunferência. Faça duas camadas de bolacha e junte uma camada de um dos cremes... outra camada dupla de bolachas e junte uma camada do outro creme e assim sucessivamente até terminar bolachas e creme. Depois de pronto leve o bolo ao congelador. Cerca de 45 minutos antes de servir, retire para o frigorífico. No momento de servir decore as laterais com nozes picadas e a parte de cima com raspas de chocolate. Eu também juntei uns paus de canela para decorar.

Bom apetite e bom domingo!